Notícias


Deere comprará fornecedora brasileira de peças de reposição Unimil

15/10/2019

Nova York, 14 – A Deere & Co. informou nesta segunda-feira que chegou a acordo para adquirir a Unimil, companhia brasileira de capital fechado que fornece peças de reposição para colhedoras de cana-de-açúcar. O valor da transação não foi informado.

A Deere afirmou que a Unimil, com cerca de 430 funcionários, continuará operando sob a mesma marca e o mesmo nome.

A companhia norte-americana, que recentemente lançou nova colheitadeira de cana-de-açúcar feita para reduzir custos de produção, disse que pretende continuar vendendo produtos da Unimil diretamente para o consumidor.

Fonte: Dow Jones Newswires.


Elite do setor: Receita das maiores sucroenergéticas cai, mas Ebitda avança

Ranking traz resultados das 39 sucroenergéticas com maior receita líquida em 2018; disparidade de desempenho é evidente

14/10/2019

Os resultados das principais empresas sucroenergéticas – ou, pelo menos, daquelas que tiveram maior receita – podem passar uma ideia sobre o andamento do mercado. Naturalmente, a amostra não é representativa do todo, mas analisar o desempenho destas companhias revela dados importantes sobre o setor.

Os indicadores de receita e lucro líquido, Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) e endividamento oneroso das principais empresas do setor foram divulgados pelo Valor Econômico, no ranking Valor 1000, que, anualmente, indica as maiores empresas do país.

No levantamento referente a 2018 constam 39 sucroenergéticas, três a mais do que no ano anterior e dez a mais do que em 2016. Do total, apenas 16 apresentaram crescimento na receita líquida entre os dois últimos anos. Como as outras 23 apresentaram queda, a média da receita das companhias que aparecem no ranking diminuiu 2,3%.

A maior receita registrada foi a da Copersucar, que comercializa a produção de 35 usinas, pertencentes a 20 grupos. Em 2018, a trading recebeu R$ 29,12 bilhões – um aumento de 2% em relação aos R$ 28,55 bilhões registrados em 2017, quando também estava na primeira posição. Nos últimos anos, a empresa tem apresentado aumentos constantes, mesmo que pequenos.

Na sequência, estão alguns dos maiores grupos controladores de usinas do país, que também mantiveram as mesmas posições de 2017: Tereos Internacional, Biosev, Bunge, Atvos e São Martinho, respectivamente. A Biosev e a Atvos, no entanto, tiveram perda de receita no comparativo entre os anos.